Voluntários do Voto Consciente apresentam os dados da pré-avaliação

Voluntários do Voto Consciente apresentam os dados da pré-avaliação

Apenas três dos 19 vereadores de Jundiaí obtiveram nota de destaque no item indicador de fiscalização do Executivo, uma das principais funções dos parlamentares. Esse foi um dos cálculos revelados na última terça-feira (19) pelos voluntários do Movimento Voto Consciente Jundiaí, durante apresentação de previa da avaliação na sede da Ordem dos Advogados do Brasil local. A avaliação é uma forma de traduzir de maneira objetiva o trabalho dos parlamentares com base no acompanhamento do Legislativo, e segue os mesmos critérios utilizadas pelo Voto São Paulo.

O ponto alto do encontro, porém, foi as discussões sobre o peso atribuído aos projetos considerados relevantes apresentados pelos vereadores da atual legislatura, e que modificam de fato a vida dos moradores. O debate sobre esses projetos, que não podem ser ilegais, inconstitucionais, de denominação e de datas comemorativas, envolveu os vereadores e o público presente. Além disso, discutiu-se, entre os voluntários e vereadores, os pareceres legais atribuídos pelo corpo jurídico da Câmara.

O evento foi realizado para que cada um dos parlamentares conheçam os resultados da avaliação antes de serem publicados na Ficha Pública, já tradicionalmente elaborada pelo Voto com o perfil de todos os candidatos às eleições. Isso dá condição para que, até o dia 5 de agosto, os próprios vereadores possam contestar alguma nota antes da avaliação definitiva. Além dos projetos relevantes e a fiscalização do Executivo, o trabalho dos legisladores foi analisado sob outros três aspectos. São eles: presença nas sessões, nas comissões permanentes da Casa e na internet.

A voluntária Sofia Mortara, coordenadora do grupo que apura os resultados, explicou cada um dos índices e a metodologia de avaliação. Em seguida apresentou a nota provisória que cada vereador recebeu para cada um dos quesitos. Aberta a palavra, os vereadores José Adair de Souza (PHS), José Carlos Ferreira Dias, o Zé Dias (PR), Paulo Malerba (PT) e Marilena (Negro (PT), fizeram questionamentos que, na medida do possível, foram esclarecidos pelos voluntários. Enviaram assessores apenas os vereadores Antônio de Pádua Pacheco (PV) e Eliezer Barbosa da Silva (PP). Os demais não compareceram, não enviaram representantes e não justificaram a ausência.

Atividades externas

Presente no encontro, o ex-coordenador do Voto, Alberto Urbinatti explicou sobre os pesos atribuídos aos projetos considerados relevantes, indicador questionado pelo vereador José Adair. Apreciou a reivindicação para que o Voto inclua de alguma forma, na avaliação, o trabalho dos vereadores fora da esfera física da Câmara. Ele explicou, porém, que a sistematização para isso é muito complexa. “Não é possível disponibilizar um voluntário para cada vereador no acompanhamento das atividades externas do Legislativo”, disse ele.

As dificuldades ainda encontradas pelos cidadãos para acessar as informações disponibilizadas no site da Câmara foi um dos assuntos comentados pela voluntária Thuany Figueiredo. Ela rebateu intervenção de uma assessora parlamentar sobre a acessibilidade dos dados, afirmando que existem normas internacionais que definem a prática. “Apenas estar disponível não significa que o site atenda aos critérios de padrões internacionais de facilidade de acesso”, afirmou. Todos os vereadores receberam na tarde desta sexta (22) a pré-avaliação de desempenho em seus e-mails para a devida revisão.

Link para acesso às informações em : https://drive.google.com/open?id=0B_R4rwSbjh1rR2dnX2JlTWdlbG8