A voluntária explica aos vereadores e aos munícipes presentes à sessão a dinâmica do trabalho desenvolvido pelo Voto

A voluntária explica aos vereadores e aos munícipes a dinâmica do trabalho desenvolvido pelo Voto

Representante do Voto Consciente de Jundiaí fez uso da palavra no horário destinado à Tribuna Livre da Câmara  Municipal de Jundiaí e agora reativada após o período eleitoral, para falar sobre a passagem dos 10 anos do movimento completados no mês de setembro. Márcia Pires, uma das coordenadoras do grupo, fez questão, porém, de incluir em seu pronunciamento um ataque considerado injusto pelos voluntários do Voto e registrado na sessão ordinária do último dia quatro de outubro, durante o horário destinado ao Grande Expediente. A investida foi capitaneada principalmente por um vereador e teve seu coro engrossado por outros dois, todos eles coincidentemente detentores dos últimos lugares em avaliação de desempenho registrada pela Ficha Pública 2016, que mostra o perfil de todos os candidatos locais às eleições, suas ideias e compromissos com metas para os próximos anos.

Ao mesmo tempo em que descreveu com detalhes a postura do Voto em relação ao ataque sofrido – o parlamentar em questão chegou a dizer que o movimento deveria ser impedido de avaliar os vereadores! – Márcia fez questão de agradecer, em nome dos voluntários, aqueles que prestaram solidariedade ao trabalho desenvolvido pelo grupo (ver Nota de esclarecimento ao cidadão jundiaiense no site http://votoconscientejundiai.com.br/).

São eles: vereador Gustavo Martinelli (PSDB) por requerimento encaminhado no dia 27 de setembro à presidência da Câmara em que felicita o movimento pela passagem de seus 10 anos; José Adair (PHS), que sempre que possível manifesta apreço pelo Voto e vereadora Marilena Negro, do PT, que nunca se furtou a fazer avaliações, sejam elas positivas ou negativas, mas sempre com palavras de apoio e colaboração.

Por fim a voluntária agradeceu também os vereadores Paulo Malerba (PT) e Rafael Antonucci (PSDB) que, por ocasião das acusações utilizaram o mesmo Grande Expediente para defender a causa do Voto, demonstrando que compreenderam perfeitamente a avaliação publicada da Ficha Pública 2016 e a importância disso como contribuição para que o cidadão possa votar de forma consciente. Veja mais no link: https://www.youtube.com/watch?v=S2O3v3WgOpM