Um chamado na manhã do último sábado (10) para discutir e entender melhor o sistema político brasileiro reuniu novos e antigos voluntários do Movimento Voto Consciente Jundiaí (MVCJ). Os sistemas eleitoral e partidário e participação e política local foram o tripé do Curso de Formação Política do cientista político e professor Jean Lucas Fernandes, que já foi voluntário do Movimento.

Em pouco mais de três horas, Jean explicou e demonstrou como funcionam e quais os princípios do sistema eleitoral e político dos três poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário – baseado em dados de pesquisas científicas desenvolvidas em universidades do País.

Entre os assuntos que mais chamaram atenção, a divisão dos partidos políticos entre esquerda, centro e direita, gerou curiosidade por parte dos voluntários. “Existe o mito de que, depois de eleito, o partido se torna indiferente. Porém, se há conhecimento da trajetória desses grupos, ficam evidentes as diferenças e tendências de cada um”, afirmou Jean, após apresentar a tabela com número de partidos por posição política.

A reforma política que ocorreu na última eleição, em 2016, também foi debatida pelos voluntários, que participaram ativamente durante todo o curso, tirando dúvidas e compartilhando experiências políticas dentro e fora de Jundiaí.

A última parte foi dedicada à participação e política local. Jean apresentou dados de seu mestrado sobre política no Estado de São Paulo, além dos números de candidatos e eleitos em Jundiaí, trazendo um panorama sobre o cenário político da cidade. “Essa é a importância da pesquisa científica. A partir desses dados que conseguimos estudar a formação política do Brasil, a trajetória dos partidos e entender como funciona a cultura política no país”, pontuou Jean.

Grupo alinhado
Para a voluntária da área de Educação para Cidadania e de Formação, Thuany Figueiredo, a proposta do curso é uma formação de aspecto teórico, tão relevante quanto a formação prática, que já acontece no Movimento por meio de palestras, acompanhamento da Câmara, tabulação de dados e eventos. “É importante para que os voluntários conheçam mais e saibam o que estão fazendo, politicamente falando, principalmente para os que chegaram recentemente”, pontua.