Voto Consciente Jundiaí | https://votoconscientejundiai.com.br

Assédio Moral

Publicada em 19/06/2013 às 17:15 | por Dênis Berni

Quando da elaboração deste artigo, pensei com muito cuidado em escrever sobre os manifestos que ocorrem agora em São Paulo, mas observei que não faltam comentários, artigos, estudos e até para seguir um protocolo informal, em breve alguém lançará um livro sobre o assunto. Até arrisco a dizer que se estivéssemos nas terras do Tio Sam, no lugar do livro teríamos um filme.

Enfim recolocando meus pensamentos em ordem, deixei de divagar sobre manifestações e resolvi escrever sobre um assunto o qual já tinha planejado anteriormente: o assédio moral.

Talvez alguém questione o tema, sobre qual a sua relação com a segurança local, assunto o qual publico todo mês ou ainda, questione o fato de um assunto delicado e de condição “interna corporis” seja assim discutido, mas é fato que uma instituição pública só existe para o público, e ao público deve satisfação.

Todo profissional da área de segurança seja qual for a sua competência legal, se da iniciativa privada ou órgão público, são seres humanos (sim, são mesmo!) normais como qualquer outro, têm seu trabalho, sua família, necessitam de descanso, conforto e têm todos os direitos trabalhistas garantidos.

Seu trabalho implica em uma técnica, em equipamentos e condições específicas para o desempenho de suas funções.Acertadamente, do servidor público é exigido certas particularidades, como a legalidade, a impessoalidade, moralidade, publicidade e a eficiência. Obviamente a eficiência deve ser atributo natural do servidor e espera-se que esse servidor produza o efeito esperado, pois é pago pelos cofres públicos. Ocorre que nem sempre a eficiência é encarada como uma habilidade técnica e exigida de acordo com as suas atribuições.

Nesse sentido, ao tentar atingir resultados não condizentes com a realidade, ou longe das possibilidades reais, deturpa-se a condição primária da eficiência tentando todo custo “tirar leite de pedra”. Àquele que determina o custo nas relações humanas não é visível, diria às vezes sinistramente prazeroso (sim, isso ocorre!), mas se desconstrói com o passar do tempo.

O assédio moral acaba com a dignidade, retira todo o prazer de uma pessoa vocacionada para a função, elimina qualquer ânimo por mais fácil que seja a tarefa, enfim, transforma o servidor imbuído de postura e vontade no mais apático “empurra com a barriga”.Ainda que fosse terrivelmente simples assim, muitos se esquecem que os profissionais elencados possuem técnicas e materiais próprios de suas atribuições, que em dado momento, podem prenunciar problemas.

Avatar
Últimos posts por Dênis Berni (exibir todos)

Leia mais sobre Outros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Link original: https://votoconscientejundiai.com.br/assedio-moral/