Voto Consciente Jundiaí | https://votoconscientejundiai.com.br

Eleições: Voto promove ciclo de palestras para 1.800 funcionários da Astra

Publicada em 28/06/2018 às 11:19 | por Laura Stoppa

Dúvidas sobre a diferença entre o voto em branco e o voto nulo nas eleições foram o grande destaque do ciclo de palestras promovido pelos voluntários do Movimento Voto Consciente Jundiaí na Astra S/A, em mais um bate-papo sobre educação para a cidadania. Divididos em turmas em quatro dias de debates, um total de 1.800 funcionários da empresa mostrou interesse também sobre o sistema de urnas eletrônico, idade necessária para candidaturas, vantagens e desvantagens da eleição proporcional e como é definido, para cada Estado da União, o número de cadeiras a deputado estadual e federal.

Segundo representantes da Astra, que todo ano abre espaço para temas em geral, o ciclo de palestras fez parte do treinamento de qualidade dos funcionários. “Em ano de eleição a direção da empresa entende ser muito importante discutir cidadania e educação política na empresa, daí o convite feito ao Voto”, disse Bruna Quirino, voluntária de referência da área de Educação. Assim como os demais voluntários que se revezaram na tarefa de conduzir as palestras, Bruna afirmou ter ficado muito satisfeita com o interesse e a receptividade demonstrada pelos funcionários e pelos responsáveis da empresa.

Como lidar com o fenômeno das notícias falsas – as chamadas fake news – em época de eleições foi outro ponto de interesse. “Mas a questão do voto branco e nulo envolveu todo o debate”, disse Bruna. A dúvida foi esclarecida pelos voluntários, que lembraram: o voto branco é aquele que não manifesta preferência por nenhum dos candidatos e não é computado para o candidato que está ganhando. “Já o voto nulo é usado pelo eleitor como forma de protesto e não anula uma eleição, ao contrário do que é dito por aí”, afirmou Bruna.

Os voluntários lembraram que em ambas as modalidades os votos não são computados. Ou seja, na seleção da quantidade total de votos são subtraídas integralmente a soma dos votos brancos e nulos, restando apenas os votos válidos. Estes, sim, entrarão para a matemática de apuração dos vencedores no caso de uma eleição proporcional, usada para determinar os representantes da Câmara dos Deputados e da Câmara dos Vereadores. O mesmo método é usado para eleições majoritárias – adotadas para escolher o Presidente da República, senadores, governadores e prefeitos.

Vez ou outra nas palestras, segundo os voluntários, observou-se claramente a expressão de decepção dos participantes ao ficar sabendo que uma eleição só é anulada – mesmo que se atinja o coeficiente de 50% + 1 de votos nulos – somente em caso de flagrante de crime eleitoral, exclusivamente decretada por um juiz eleitoral e após denúncia, investigação e condenação. A descrença na política gera esse tipo de reação, na opinião de alguns, levando a um sentimento de “que pena que não podemos acabar com tudo dessa forma”.

Urnas eletrônicas

Além do embate voto branco/nulo, o sistema eletrônico de votação destacou-se entre os temas mais questionados. Colocando em dúvida a eficácia do mecanismo, um funcionário perguntou porque os países do Primeiro Mundo não utilizam esse processo se o sistema eletrônico é considerado o mais seguro do mundo. Por já ter sido mesário e ter acompanhado de perto as eleições, o voluntário Thales Messias explicou prontamente ser impossível fraudar uma urna eletrônica ou seu esquema de apuração. “No dias de votação estão sempre presentes representantes de todos os partidos e candidatos. Isso garante a fiscalização e as várias conferências e auditorias que são realizadas simultaneamente em cada momento”, disse Thales.

Participaram do ciclo de palestras da Astra, além dos já citados, os seguintes voluntários: Rani Melo, Lívia Siqueira, Mila Rodrigues, Paula Bertolli, Karina Costa, Stephani Sampaio, Renan Agostinho, Laura Stoppa e Márcia Pires. Já estão programados novos bate-papos sobre educação e cidadania no Colégio Domus, Colégio Futura e Igreja Batista Nova Canaã. Através da unidade de Educação, o Voto se prepara para levar também sua mensagem para a comunidade do Jardim São Camilo.

Cláudia Muller é jornalista e voluntária do Voto Consciente Jundiaí


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Link original: https://votoconscientejundiai.com.br/eleicoes-voto-promove-ciclo-de-palestras-para-1-800-funcionarios-da-astra/