Voto Consciente Jundiaí | https://votoconscientejundiai.com.br

Pão de ontem

Publicada em 30/12/2008 às 17:15 | por Voto Consciente Jundiai

Ontem, dezenove horas – sete da noite, como diz o bom brasileiro – , o debate legislativo promovido pela ong Voto Consciente estava quase começando. Um cidadão cuja presença tinha grande importância no evento, o Tico, não estaria lá. Mas eu, que num passado não muito distante nunca me imaginaria numa reunião dessas, estava. Imaginava como seria o debate, inquieto pela novidade. Talvez estivesse presente pouca gente, talvez fosse maçante, ou talvez não.

Eu havia chegado na AAPJR pouco depois das dezoito, e o Henrique, coordenador-geral da ong, explicou o que eu faria para ajudar o evento. Entregar papéis, recolher papéis, nada que um hominídeo bem treinado achasse difícil fazer.

Ouvira falar da ong há alguns meses, que era apartidária, era polêmica, era isso e aquilo. E essa era minha primeira vez como voluntário da ong. Os outros voluntários, eu conhecia um ou outro apenas. Mas vi a diversidade na ong, pois muitos eram tão jovens quanto eu e outros eram já aposentados. Cada um ajudando de alguma maneira.

Mas, como dizia, eram dezenove horas, e as pessoas estavam chegando. Algumas podiam ser reconhecidas de cartazes que haviam povoado a cidade antes de outubro. Outras, nem tanto. Porém todas assinavam a lista de presença e recebiam a senha, para sorteio do mesário, da mesma maneira. Afinal, todos eram e são iguais.

Às dezenove e trinta, com um pouco de atraso, começava o debate. No início, considerações, apresentações, formalismos em geral. Dois dos quatro pré-candidatos convidados estavam ausentes, Tico já citado e o pedetista Fernando Bardi. O que sobrou era a presença de Marilena Negro e José Dias.

E então era o momento das perguntas. Primeiramente da ong aos vereadores e depois do público aos mesmos. Eu estava ajudando a entregar os papéis para perguntas e fiquei feliz em ver que grande maioria das pessoas quis questionar os candidatos. A cada pergunta, uma elucidação; uma ganho, talvez, à democracia.

José Dias e Marilena respondiam as perguntas frente à câmera da imprensa, cada um a seu modo. Marilena com respostas firmes e incisivas, por vezes um tanto ácidas. José Dias com sua maneira diplomática e calma, por vezes um tanto prolixo. E até poderia dizer que tanto um quanto outro sentiu dificuldade em responder certas perguntas polêmicas e inusitadas, como, por exemplo, a que perguntava sobre a extinção do salário de vereador.

Não me lembro do número exato de perguntas respondidas. Foi um bom número, assim como bons foram a maioria dos questionamentos. E, devido à falta de tempo, houve perguntas que ficaram sem resposta – dentre essas a minha.

Por menor que seja o auxílio que fiz à ong nesse evento, pude me sentir mais participativo, mais útil talvez. Não me restou dúvida de que debates como esse contribuem para o contato entre representantes e representados, seja lá quem forem. Torço, portanto, para que haja outros eventos assim, e que eu possa estar neles também.

Gostei, foi bom. E se poderia ser melhor não é a questão que desejo comentar aqui, pois muitas variáveis não estão e nem estarão ao nosso alcance. Apenas senti falta dos candidatos a presidência não presentes, por mais que não os conhecesse. Era uma bela noite para se discutir assuntos internos.

Voto Consciente Jundiai

Leia mais sobre Sem categoria

Uma resposta para “Pão de ontem”

  1. Avatar Patrícia disse:

    Pelo seu texto e por ter ido ao debate dos prefeituráveis, imagino que este também foi ótimo! Queria muito ter ido.
    Só são chatas essas ausências repetidas no que diz respeito à situação! Só quero ver depois dizerem que a ONG marca cartas em suas eventuais críticas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Link original: https://votoconscientejundiai.com.br/pao-de-ontem/