Voto Consciente Jundiaí | https://votoconscientejundiai.com.br

Morador usa Tribuna e cobra promessa de campanha; sessão dura quase cinco horas

Publicada em 27/11/2015 às 16:47 | por Claudia Muller
20151124_191204-1_resized_1

A participação de um morador do Jardim do Lago no horário cedido à Tribuna Livre desta terça-feira (24) fez com que a sessão ordinária, que a princípio não exigiria mais do que as três horas e meia habituais de debates e votações – isso quando a pauta do dia se apresenta relativamente carregada, com projetos polêmicos – se prolongasse além da conta. Os trabalhos tiveram início um pouco depois das 18h, como de hábito, prolongando-se até às 23h32. Quase cinco horas de sessão que acabaram, portanto, cansando e afastando o público que tentou, mas não aguentou, acompanhar os trabalhos.

Tudo conspirou para que as discussões se arrastassem num vaivém sem fim. Desde a iniciativa do presidente da Casa, Marcelo Gastaldo (PTB), que antes da abertura do expediente criticou longamente o Sindicato dos Servidores Públicos de Jundiaí por publicação que o envolve, juntamente com o Legislativo como um todo, com projetos de lei do Executivo para reajuste salariais da categoria.

Gastaldo também contribuiu com a demora nas considerações ao permitir inúmeras interrupções dos parlamentares tanto da situação quando da oposição, através de questões de ordem, durante o tempo cedido à Tribuna Livre. A época pré-eleitoral exige um certo controle dos ânimos por parte da Mesa Diretora, a ponto de o próprio presidente, percebendo a falta de sossego  da plateia, composta em sua grande maioria por servidoras municipais ligadas à área da Saúde, pedisse em determinado momento para que os parlamentares deixassem maiores considerações sobre o tema levantado na Tribuna Livre para o Grande Expediente. Neste momento da sessão os vereadores têm a liberdade, no final dos trabalhos, de se manifestar sobre os temas que mais lhe interessem.

Fora os celulares, acionados freneticamente, uma criança chegou a entreter mais as funcionárias do que as próprias discussões levadas a cabo no plenário (veja foto). As servidoras só permaneceram mais na plateia para aguardar uma conversa com os vereadores e com o presidente da Casa. Isso só aconteceu por volta das 20h, quando Marcelo Gastaldo suspendeu a sessão. Só mais de uma hora depois teve início, enfim, a Ordem do Dia, momento em que os vereadores debatem e votam as matérias inscritas na sessão.

“Por que não faz?”

Tudo começou quando o munícipe Antônio Zebber Filho, do Jardim do Lago, ocupou a Tribuna Livre para falar sobre o não comprimento da promessa de construção de uma UBS naquele bairro. Segundo ele, o prefeito já teria confirmado a existência de verba e projeto, o qual, no entanto, ainda estaria em licitação. Zebber Filho cobrou fortemente a Prefeitura. “Se já tem a verba e o projeto, então por que não faz?, perguntou.

O munícipe apontou, por outro lado, as benfeitorias que já foram realizadas no bairro, como asfalto e parque ao ar livre. Porém a UBS, na sua opinião, é da mais extrema urgência, pois a estrutura de saúde hoje existente no bairro deixa a desejar. Zebber Filho referia-se ao descumprimento dos estatutos do deficiente físico e do estatuto do idoso. Relatou ainda que o secretário municipal da saúde, Luís Carlos Casarin, marcara uma reunião na semana da mesma terça (dia 24) com os moradores para discutir sobre o assunto. O encontro, porém, foi desmarcado na última hora. Casarin teria alegado convocação urgente do prefeito a outro compromisso.

“É tudo muito estranho, pois na semana anterior outro morador do Jardim do Lago já havia comparecido à Câmara para pedir a UBS”, afirmou. Logo após a fala o vereador Gerson Sartori (PT) pediu um aparte para dizer que havia telefonado naquele momento para o secretário da saúde, que de repente agendou nova reunião para o dia dois de dezembro. Segundo Sartori, caso não haja o cumprimento da promessa, ele mesmo irá convocar pessoalmente o secretário a prestar esclarecimentos à Câmara. Na sequência Alessandro Peres, da Vila Rica, falou sobre o descaso para com a saúde dos pacientes em internação no hospital São Vicente de Jundiaí.

Texto : Cláudia Muller
Colaboração : Márcia Pires


Leia mais sobre Outros

Uma resposta para “Morador usa Tribuna e cobra promessa de campanha; sessão dura quase cinco horas”

  1. Avatar Henrique Parra Parra Filho disse:

    Cláudia, gostei do enfoque sobre a dinâmica da sessão (se demorou, como foram os principais lances) e também o destaque para a fala da Tribuna e seus efeitos para a sessão! Muito legal ver o Antonio Zebber cobrando uma promessa eleitoral e isso repercutir! Se me permite, até colocaria isso no título:

    Morador cobra promessa de campanha usando a Tribuna Livre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Link original: https://votoconscientejundiai.com.br/saude-polemiza-e-sessao-se-arrasta-por-quase-cinco-horas/