Voto Consciente Jundiaí | https://votoconscientejundiai.com.br

Velhos erros

Publicada em 18/06/2012 às 09:43 | por Lucas Maretti

Ano de eleição é sempre interessante – para o partido no poder. A cidade vira o famoso “canteiro de obras”. Muitas destas que em 3 anos sofreram para sair do papel, em poucos meses resplandecem aos olhos dos cidadãos, para dar-lhes a sensação de que a cidade em que moram avança, ou que é “a que mais cresce”, entre outros jargões. Essa tática é antiga e baseia-se na ingenuidade de que a população é incapaz de percebê-la.

Jundiaí de fato cresceu nos últimos anos. Se alguém dissesse há algumas décadas atrás que a nossa principal avenida tornar-se-ia o que é hoje, provavelmente ririam da cara do pobre coitado. Avenidas duplicadas ou triplicadas, pólo industrial crescente, 3 shoppings a caminho, imóveis superfaturados e o surgimento de tantos prédios que a visão até fica prejudicada demonstram que de fato a cidade cresceu e cresce.

Acredito que seja hora de passarmos a nos preocupar com as outras áreas em que a cidade precisa crescer para que tamanho inchaço imobiliário torne-se sustentável. E a principal é o transporte público, se não quisermos acabar como a capital em termos de trânsito. E acredito que já caminhamos a passos largos nesse sentido.

Passou da época em que se almejava desenvolvimento puro e simples, calcado em crescimento imobiliário. É necessário pensá-lo em um contexto muito mais amplo, de transporte público, educação e serviços básicos, para que não nos tornemos reféns de velhos erros.

 


Leia mais sobre Outros

Uma resposta para “Velhos erros”

  1. Cara, gostei bastante desse artigo! Pensa uma imagem para ele? Vale a pena!
    Sobre esse “desenvolvimento mais inteligente”, acabamos esquecendo que, em nossa cidade, temos apenas um cinema (e comercial). Temos quantas bibliotecas mesmo? Uma! Quantas piscinas públicas? A do Bolão e mais…

    Quantas ciclofaixas? Quantos museus e quais deles interativos, com recursos digitais? Nenhum. Temos o Museu Ferroviário, de Luz e Energia, o Solar do Barão. Todos eles concentrados em uma zona central que, mesmo com tamanha vocação, ainda não foi declarada Zona de Interesse Cultural e em uma cidade onde, nos finais de semana, continua custando 3 pilas para pegar o bumba! Gostei muito quando trouxe o “acesso” e ainda construímos uma lógica que privilegia ofertas comerciais de cultura e lazer e centralizamos os aparelhos públicos, sem desenvolvê-los e sem pensar no sistema de acesso.

    Por outro lado, temos iniciativas sociais interessantes. Cineclube Consciência com seis anos de trabalho e conseguindo pautar um esboço de política. Moviecom arte, abrindo espaço para filmes menos comerciais, embora o ingresso continue sendo uma barreira. Os museus continuam sem uma proposta de desenvolvimento e sem construírem-se como referências, infelizmente. Cinemas/cineclubes e bibliotecas interativas nos bairros ou pelo menos em regiões-pólo é proposta simples, mas que não avançou. Isso tudo na esfera de lazer e cultura. A de transporte público patina, sem um sistema de ciclorotas, ciclovias e bicicletários, sem corredores exclusivos de ônibus e privilegiando o automóvel individual.

    abraços!

Deixe uma resposta para Henrique Parra Parra Filho Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Link original: https://votoconscientejundiai.com.br/velhos-erros/